O diferencial faz com que as rodas, responsáveis pela tração do carro, rodem de acordo com a quantidade necessária para o trajeto de uma curva já que a roda externa sempre percorre uma distância maior que a interna. Se ambas tentassem percorrer a mesma distância em uma superfície com boa aderência, poderia tensionar o eixo até quebrar.

shutterstock_115302364

O problema disso é que, se uma roda fica suspensa ou atolada, o diferencial entende como se estivesse em uma curva e aumenta o torque nela e reduz a praticamente zero a tração para a roda que está em contato com o solo firme e poderia fazer o carro andar. O bloqueio do diferencial é um sistema de engrenagens que serve para bloquear essa função e permitir que o torque seja o mesmo na roda que está em contato com o chão e naquela que gira em falso.

Esse dispositivo, porém, deve ser ativado somente em situações necessárias, pois seu uso em superfícies com boa tração pode causar a quebra do eixo. Por isso, é importante reservar sua utilização para trechos fora de estrada com lama, areia ou pedras, e que tenham algum deslizamento das rodas, sendo especialmente útil para situações de atolamento ou quando perde contato com o solo e patina sem conseguir gerar tração.

Compartilhe

Comentários