Para os apaixonados por carros e para os curiosos uma pergunta é muito comum: por que o motor esquenta? A palavra-chave que respondem essa dúvida é “combustão interna”. Tudo que acontece ali embaixo do capô é por causa desse processo. Essa combustão acontece em um ciclo de quatro tempos gerador de uma espécie de explosão, que fornece a energia necessária para o funcionamento de todo o veículo.

O primeiro tempo é chamado de admissão, nele o pistão desce, enquanto a válvula de admissão abre. Essa ação conjunta faz com que o cilindro se encha de ar e combustível, mistura que é dosada pelo sistema de alimentação de carburador e injeção eletrônica. Seguida dela vem a compressão, processo em que essa mesma válvula é fechada, ao passo que o pistão sobe e comprime a mistura de ar e combustível. Essa etapa proporciona mais potência à explosão.

Por que o motor esquenta__blog

O terceiro tempo é quando acontece a combustão. Uma fagulha é solta pela vela de ignição, o pistão atinge seu pico, e então ocorre a explosão. Dessa maneira, o combustível que estava no cilindro queima, aumentando de volume rapidamente e fazendo com que o pistão seja empurrado para baixo. É nesse momento que a força rotativa é realizada, proporcionando movimento ao eixo do motor e transmitindo-o às rodas motrizes.

Por último, se dá o processo denominado escapamento ou exaustão. Quando o cilindro está cheio de gases queimados, o pistão chega em seu limite de curso e faz com que a válvula de escapamento se abra. Isso acarreta a liberação dos gases queimados por meio do tubo de escape. Uma vez concluído o ciclo gera energia e se reinicia enquanto o motor estiver funcionando.

Os combustíveis de alta energia, como a gasolina, são transformados em energia quando colocados em espaços pequenos, ainda que estejam em pequena quantidade. Por isso, a combustão é feita em um espaço bastante reduzido. Agora você já sabe que o calor gerado quando pisa no acelerador não é em vão.

Comentários