Automóveis, bicicletas, aviões, motos. Nada disso existiria sem roda e, nada disso funcionaria da forma que se dá hoje sem os pneus. Mas, apesar de sua importância, eles podem significar um perigo bem grande para o meio ambiente. O problema começa na matéria prima, a borracha, que não é nada sustentável e se estende ao descarte que é, quase sempre, feito de maneira inadequada. Por isso, é bom ficar de olho em algumas informações:

1. História

Em 1839, o norte-americano Charles Goodyear descobriu acidentalmente sua mais importante invenção. Ao derrubar enxofre em uma borracha que estava a altas temperaturas ele percebeu que a mistura mantinha as propriedades mais importantes desse último elemento: resistência e elasticidade. Ali nascia o pneu.

2. Matéria-prima

A borracha pode ser natural ou sintética. A natural vem do látex, um polímero extraído de espécies vegetais como a Seringueira, árvore nativa da Amazônia que leva oito anos para permitir a extração do componente e cuja a exploração foi por muitos anos totalmente extrativista. Já a sintética, desenvolvida a partir de 1940, é um elastômetro derivado do petróleo, ou seja, de recursos não renováveis. Ambas acabam representando, portanto, perigos ao meio ambiente.

3. Descarte

De 2002 ao primeiro quadrimestre de 2011 as empresas deixaram de destinar adequadamente cerca de 425 milhões de pneus usados, o que corresponde a cerca de 2,1 milhões de toneladas. Esses pneus acabam indo para grandes depósitos a céu aberto, e como não são biodegradáveis, formam resíduos e se tornam criadouros de mosquitos transmissores de dengue, febre amarela e malária.

4. O que fazer para mudar

A reciclagem é apontada hoje como a melhor solução para o problema de descarte dos pneus, já que eles podem fornecer matéria-prima mais barata para fabricação de novos ou de uma gama de outros produtos. Os especialistas apontam o asfalto-borracha como a melhor alternativa nesse sentido, mas também podem ser usados inclusive na construção civil, como mostra essa reportagem exibida no Bom dia Brasil:

Apesar de o asfalto ser a principal alternativa para os pneus, entre os anos de 2001 a 2010, foram pavimentados apenas 4900 km de rodovias no Brasil.

Confira reportagem feita pelo AutoEsporte sobre a reciclagem de pneus:

 

Compartilhe

Comentários