Os executivos do alto escalão do setor automotivo apresentam dificuldade para acompanhar tendência e se inovar. Isso é o que mostra o estudo realizado pela KPMG, empresa especializada em pesquisa de mercado e consultoria. Foram consultados cerca de mil profissionais de 42 diferentes países. Esse fator é ainda mais preocupante quando mais de 80% dos entrevistados afirmam que o mercado em questão deve sofrer uma mudança abrupta em breve.

Entre essas mudanças, Dieter Becker, chefe global da KPMG, afirma que os próximos anos devem ser da “tecnologia de propulsão, das legislações mais rigorosas, da mudança de comportamento do consumidor, e da demanda crescente por conectividade e digitalização”. Assim, o dilema, ainda segundo Becker, é que as grandes montadoras não sabem transitar entre o mundo digital e o automotivo.

“Esses dois universos estão aumentando a velocidade tão rapidamente, na mesma direção, que devem acabar convergindo completamente. As companhias tradicionais precisam se preparar para o que está ficando conhecido como fusão digital.” O relatório mostra também que, mesmo com esses alertas, as montadoras seguem conservadoras e investem mais em tecnologias para o motor do que em conectividade e digitalização.

Por último, outro agravante da situação é o fato que, nos próximos anos, o interesse do consumidor na posse de um veículo deve diminuir. Até 2025, por exemplo, quase 50% das pessoas que hoje possuem um carro devem desistir de ter um automóvel.

Comentários