Segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), a produção de motos no Brasil cresceu em janeiro, acompanhando o setor de carros e caminhões. No total, foram produzidas 81.646 motocicletas, um crescimento 7,5% superior quando comparado ao mesmo período no ano passado.

Ainda de acordo com a instituição, a alta foi motivada pelo fim das férias coletivas nas fábricas. Em dezembro, por exemplo, mês em que muitos funcionários estão de folga, apenas 32.814 motos saíram das linhas de produção.

Por outro lado, as vendas continuam em baixa. Foram comercializadas 67.136 unidades em janeiro, volume 14,2% inferior ao do mesmo período de 2016. “O que se verifica no momento ainda é um ritmo lento na comercialização, com os consumidores tendo dificuldades para obter financiamento e as redes de concessionárias buscando formas variadas para viabilizarem os negócios”, afirma Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

Mesmo com dois dias úteis a mais que o primeiro mês do ano passado a média diária de vendas apresentou queda de 21,8%, passando de 3.927 para 3.073 motocicletas. Foi o pior janeiro desde 2003, que havia registrado a venda de 2.920 unidades por dia útil.

Já pelo lado positivo, as exportações estão em alta, somando  5.769 unidades no 1º mês deste ano, uma alta de 72,9% sobre janeiro de 2016.

Comentários