Na última terça-feira, montadoras se reuniram em Brasília para atualizar o governo sobre a conjuntura do setor e entregar um plano chamado de Agenda Automotiva Brasil, que, segundo o grupo, contém sua visão sobre os pilares necessários para o desenvolvimento sustentável da indústria brasileira no longo prazo. Isso ocorre pouco tempo depois de o governo convocar os representantes da indústria para apresentar a nova política industrial do setor, a Rota 2030, que deve entrar em vigor em 2018 e irá substituir o Inovar-Auto.

A reunião foi conduzida pelo presidente da Anfavea, Antonio Megale, que contou com a presença de vários presidentes e representantes das montadoras associadas. O plano foi entregue ao presidente em exercício, Michel Temer, e aos seus ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marco Pereira, e da Fazenda, Henrique Meirelles, e a representantes de outros ministérios.

A Anfavea abordou temas a serem considerados pelo governo nos próximos meses para dar corpo à nova política industrial. Os assuntos elencados envolvem a recuperação da base de fornecedores, localização de tecnologia, pesquisa, desenvolvimento e engenharia, eficiência energética (que considerará as características do etanol como combustível limpo), segurança, inspeção veicular, resolução de gargalos e entraves logísticos, relações trabalhistas e tributação. Todos esses itens já fazem parte da agenda de discussões no novo ciclo de política automotiva, iniciada recentemente com o anúncio da Rota 2030.

Comentários