Com um mundo cada vez mais tecnológico, as montadoras de automóveis precisam caminhar no mesmo ritmo do progresso para não enfrentar obstáculos no futuro. Ferramenta cada vez mais utilizada no meio digital, o Big Data – ciência feita a partir das megabases de dados disponíveis na internet – é fundamental para a sobrevivência das indústrias do setor.

O setor automotivo costuma usar o Big Data para saber a performance de seus carros, analisando o tipo de terreno que alguns veículos são mais utilizados, as condições do tempo, a velocidade média, status dos pneus, entre outros fatores presentes na conectividade dos carros. Só que esse tipo de tecnologia não é aproveitado por muitas montadoras em sua cadeia produtiva, o que pode ser perigoso para o futuro.

O uso do Big Data na área de produção ajuda a antecipar as tendências do mercado, informando ao fabricante tudo o que pode agradar o consumidor, desde o tipo de veículo que é mais desejado por um comprador até o modelo de negócios mais adequado em uma certa região do país.

A GM preferiu esquecer o público em massa para criar perfis detalhados de consumidores

Quem usa essa tecnologia de maneira bem ampla é a General Motors. Um dos exemplos é o marketing personalizado da montadora sediada em Detroit, nos Estados Unidos. Com um montante de 2 bilhões de dólares na área de propaganda, a GM preferiu esquecer o público em massa para criar perfis detalhados de consumidores com a ajuda do Big Data, um jeito bem lucrativo para aproveitar essa inovação.

Comentários