Para o motor de combustão queimar a mistura ar-combustível e fazer com que seu carro saia em movimento, o virabrequim, ou também conhecido como cambota, é um dos itens essenciais para fazer isso acontecer. A peça transforma a força em um momento (torque ou binário de forças), recebendo essa carga através das bielas que são conectadas aos pistões. Depois, a transmite aos demais componentes das extremidades de seu eixo, como o volante do motor e a polia da correia dentada.

Como o virabrequim entra em contato com uma parte muito quente do veículo, ele deve ser feito em materiais resistentes, geralmente metais duros de aço forjado ou contendo carbono e magnésio. Por consequência, a cambota suporta a carga de sua função, não sofrendo um grande desgaste com as rotações.

A duração do componente está relacionada à maneira de como o motorista utiliza o veículo. A vida útil do virabrequim pode abranger entre 80 mil e 250 mil quilômetros rodados.

Caso a manutenção diária não for feita, o virabrequim pode ter diversos problemas: rachaduras, deformação e flexão. Além disso, o mau funcionamento da cambota pode afetar outros componentes, como as bielas e os pistões.

Os sintomas de que o virabrequim pode estar com problemas são os seguintes: superaquecimento do motor, aumento do consumo de combustível, barulho metálico, consumo excessivo de óleo combustível, água ou metais no óleo combustível.

Comentários