Aproveitando o aniversário de 50 anos da AMG, divisão esportiva da Mercedes, a marca alemã lançou seu novo hipercarro, o Mercedes-AMG Project ONE. O modelo conta com o máximo de tecnologia das unidades de potência híbridas utilizadas na Fórmula 1, podendo produzir mais de 1.000 cavalos de potência e chegando aos 350 km/h.

“Diante de uma concorrência intensa, desenvolvemos tecnologias das quais nossos veículos de produção também se beneficiam posteriormente. Estamos aproveitando nossas experiências e sucessos de três campeonatos mundiais de construtores e pilotos para trazer tecnologia de Fórmula 1 para a estrada pela primeira vez: no Mercedes-AMG Project ONE “, afirma Dieter Zetsche, presidente do Conselho de Administração da Daimler AG e chefe da Mercedes-Benz.

O motor a gasolina híbrido V6 de 1.6 litros com injeção direta e turbocompressão única eletricamente assistida vem diretamente do carro da equipe Mercedes da Fórmula 1. Para alcançar altas velocidades do motor, as molas de válvulas mecânicas foram substituídas por pneumáticas. O veículo é de motor médio (à frente do eixo traseiro) e pode chegar facilmente aos 11.000 rpm, o que atualmente é único para um veículo de produção.

Previous Image
Next Image

O design do Project ONE é inspirado no mais premium do automobilismo. O resultado é um conceito de meio-motor, proporções extremamente musculares com o cockpit bem para a frente, grandes arcos de roda e uma traseira prolongada.

Cada exemplar deve custar em torno de R$ 8,5 milhões.

“Ele é o carro mais legal que já desenhamos. Combina nossa filosofia de design de Sensual Purity com o desempenho de nossos carros de corrida de Fórmula 1 “, diz Gorden Wagener, Chefe Diretor de Design Daimler AG. “O design extremo deste hipercarro marca um marco no design – não há linhas, e o interior é despojado do essencial”, finaliza.

O hipercarro da Mercedes foi desenvolvido com as fábricas de Brixworth, instalação onde são produzidos os motores da Fórmula 1, e a de Brackley, onde é feito os chassis e a parte aerodinâmica dos monopostos. Os alemães devem produzir apenas 275 unidades do Project ONE. Cada exemplar deve custar em torno de R$ 8,5 milhões.

Comentários