Considerada a principal feira automotiva do ano, o Salão de Frankfurt, encerrado no último domingo (24), teve como principal destaque este ano o incentivo a ações sustentáveis. Além de revelar ao mundo os novos lançamentos de nomes como Ferrari e Lamborghini, o evento foi o palco escolhido para que duas grandes marcas alemãs divulgassem os seus programas de incentivo a veículos elétricos e híbridos.

“A mobilidade terá de ser sustentável e limpa”, alegou o presidente da companhia alemã Volkswagen, Matthias Müller. O grupo anunciou um investimento de € 20 bilhões (R$ 74,762 bilhões) para que todos os veículos pertencentes a equipe tenham as suas opções sustentáveis. “Está acontecendo uma transformação radical na indústria automotiva – e nós queremos estar entre os líderes deste processo”, completou.

Até 2021, 95% da frota de cada montadora terá de emitir no máximo 90 g/km de CO2

Apesar do grande avanço da “Volks”, o grande passo foi dado pelo grupo BMW ao apresentar na feira o seu primeiro modelo limpo, o “i”. O veículo, que na verdade pode ser nomeado também como BMW i Vision Dynamics, é um gran coupe com autonomia de 600 quilômetros. Os seus criadores já alegaram que o mesmo está apto a ultrapassar os 200 km/h, e a acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4 segundos. “O BMW i Vision Dynamics combina a mobilidade elétrica com os valores fundamentais da BMW: dinamismo e elegância”, comentou o vice-presidente sênior do BMW Group Design, Adrian van Hooydonk.

Apesar da mudança encher os olhos de muitos, ela nada mais é do que uma precaução para as futuras mudanças do mercado automobilístico. Até 2021, 95% da frota de cada montadora terá de emitir no máximo 90 g/km de CO2, e a multa por grama excedente será de nada mais, nada menos que € 95 por carro. Além de tal mudança, a partir de 2040, França e Reino Unido vão deixar de aceitar carros com motor convencional.

Comentários