Por vezes despercebidas, as bombas de injeção são parte de um processo crítico para a performance adequada do carro. Responsáveis por ejetar o combustível ao motor, essa peça vem sofrendo mudanças conforme os veículos evoluem. Nesta edição, o Balconista S/A visita o passado e compara os antigos componentes dos carros carburados com os utilizados nos modelos atuais, que funcionam com o sistema de injeção eletrônica.

Bomba de combustível mecânica

1- Funciona apenas com o motor ligado

2-   Movida por um eixo

3-    Uso em veículos carburados

4-    Exige um consumo maior de combustível

5-   Desperdício de combustível nas paredes do coletor de admissão

Bomba de combustível elétrica

1-    Acionada por um motor elétrico

2-    Desempenho preciso e ágil

3-    Disponível para uso em veículos com sistema de injeção elétrica

4-    Permite um consumo menor de combustível

5-   Facilita que a mistura do combustível com o ar ocorra de forma mais homogênea

Sistema de injeção eletrônica

O sistema injeta combustível de maneira controlada no motor do carro. A “dosagem” é feita por um chip eletrônico que analisa o funcionamento do motor, ajustando a alimentação, com o objetivo de ter um melhor desempenho e eficiência.

Carburador

Utilizado nos automóveis por quase um século, o componente realiza a mistura ar-combustível e sua dosagem em motores de combustão interna. O funcionamento básico da peça é totalmente mecânico. A vantagem é o custo, com uma manutenção relativamente mais barata em relação à injeção eletrônica, porém gastando mais combustível e precisando de revisão periódica.

Comentários