Os veículos produzidos nos Estados Unidos nos anos 50 acabaram virando ícones de uma época. Sua elegância e potência conquistaram uma geração de fãs de marcas como Buick, Oldsmobile, Chevrolet e Ford. Mas a memória dos fanáticos pelos carros antigos é mais refrescada pelos modelos da Cadillac, montadora fundada em Detroit, em 1902. Um objeto de status naquele tempo, os luxuosos sedãs foram utilizados por várias celebridades. A lenda da música Elvis Presley tinha um exemplar rosa, que acabou inspirando o Placa Preta desta edição.

“Virou uma paixão de família. É um amor que passou de pai para filho e de avó para neto, já que as crianças estão começando a se interessar pelos carros antigos”

Em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, o Cadillac Sixty Special chama a atenção por onde passa. A cor rosa, rara nos modelos de hoje, levanta a curiosidade de quem avista o sedã norte-americano nas ruas. A dona do veículo é Monica Siciliano, que vem de uma família apaixonada por carros. Seu pai, Romeu, foi um dos maiores colecionadores de carros antigos do Brasil. Desde a morte dele, em 2008, ela, ao lado de sua irmã Emília, assumiu a RS Automóveis Antigos, especializada na venda, locação e reparação dessas raridades sobre quatro rodas.

“Virou uma paixão de família. É um amor que passou de pai para filho e de avó para neto, já que as crianças estão começando a se interessar pelos carros antigos”, afirma Monica. O Cadillac Sixty Special de 1950 era um dos preferidos da coleção de seu pai, que o utilizava aos fins de semanas. “Esse carro está na nossa família a quase 20 anos. Era o carro de uso do meu pai. O xodó dele”, conta.

Previous Image
Next Image

 

Monica, que mantém o Cadillac em um galpão ao lado de outras raridades como o Ford Crown Victoria e modelos da Rover e da Rolls Royce, nos conta como esse veículo era visto na década de 50: “Era um carro de alto luxo para a época, pelo conforto e design modernos”.

O sedã luxuoso de Monica é de duas portas e conversível. No interior, os bancos são de couro. Uma curiosidade é a inovação do tanque de gasolina do Cadillac, que fica localizado dentro da lanterna traseira esquerda. “É um carro raro no Brasil e no mundo. Um veículo totalmente original para os padrões de fábrica”, explica. Além desses itens, o modelo conta com o “rabo de tubarão” na parte de trás.

As rodas são um capítulo a parte. Os modelos mais simples da Cadillac utilizavam calotas, mas o possante rosa de Monica tem rodas raiadas. Além disso, o Sixty Special tem pneus com faixa branca, dando um toque extremamente exclusivo e luxuoso para este clássico norte-americano.

“Não irei me desfazer deste carro nunca”

A cor rosa do Cadillac tem uma história interessante. Originalmente, o carro era azul cintilante, mas por conta de um evento em homenagem a Elvis Presley o veículo foi adesivado para simular o modelo utilizado pelo Rei do Rock, em Memphis, nos Estados Unidos. Monica conta que o Sixty Special passou por um processo minucioso para ser transformado: “Demorou quatro dias para ficar pronto esse adesivo. Como o sedã é grande, o material podia formar bolhas, então ele passou por um trabalho árduo”, revela.

Mesmo após o evento, Monica manteve o rosa na lataria do Cadillac, o que tem um significado muito especial para ela: “Como a empresa, hoje, só tem mulher, não tem outro sentido que deixar ele assim, mesmo achando que não tem cor masculina ou feminina, mas a sociedade representa assim”.

A paixão de Romeu Siciliano pelos carros antigos continua em sua filha Monica, que afirma não querer se desprender da raridade da Cadillac: “Não irei me desfazer deste carro nunca”, conta a orgulhosa dona do exemplar rosa inspirado no veículo do Rei do Rock.

Comentários