A ideia de veículos que possam se comunicar entre si é um tanto quanto fantasiosa. Mas, na verdade, ela carrega mudanças que podem diminuir consideravelmente os números de acidentes. O primeiro rascunho desse plano partiu da fabricante Toyota, que planeja testar os primeiros protótipos do sistema nos próximos três anos.

Tudo acontecerá por meio da colocação de chips de comunicação de curto alcance nos veículos. Essa tecnologia permitirá que os carros enviem dados sobre a sua localização e velocidade aos automóveis do entorno, assim como para a infraestrutura viária. Batizado de DSRC, o chip enviará informações entre si várias vezes por segundo, podendo alertar os motoristas sobre possíveis colisões antes que aconteçam. Ao enviar tais informações, os veículos poderão criar contato direto com os motoristas e outros automóveis.

Ao apresentar a ideia publicamente, a Toyota reforçou o interesse em que o restante da indústria automotiva – e os órgãos reguladores- adotasse o sistema e a tecnologia. No entanto, um dos maiores bloqueios é a batalha contra as empresas de telefonia que, por sua vez, preferem que o público adote suas redes de telefonia celular 5G para cumprir tarefas. De acordo com o diretor de pesquisa de redes do Toyota InfoTechnology Center, John Kenney, o plano é fazer com que fabricantes comprem a ideia da tecnologia da empresa. “Hoje estamos nos manifestando para dizer que implantaremos a tecnologia DSRC e queremos que outras fabricantes façam o mesmo.”

Em dezembro de 2016, o Departamento de Transportes divulgou uma proposta para a exigência de um sistema de comunicação. Ao consultar as consequências de algo assim, os órgãos reguladores do governo de Barack Obama estimaram que a tecnologia poderia evitar ou mitigar, no mínimo, 80% das colisões entre veículos não influenciadas por incapacidade do motorista.

Compartilhe

Comentários