O conversível é um estilo de automóvel que desperta o interesse de muitos apaixonados por carros pelo mundo inteiro. Sua essência luxuosa e ao mesmo tempo aventureira costuma atrair olhares por onde ele passa. Descubra abaixo alguns fatos e boatos sobre ele: 

FATOS

-A blindagem não é recomendada 

A começar pelo fato que se perde bastante valor. A blindagem pode desgastar o carro e sempre acaba tornando o veículo mais pesado. Em segundo lugar, pontos vulneráveis são inevitáveis, pelo formato do chassi e da cobertura do carro. Seria como fazer um trabalho incompleto.

-No Brasil, não há produção alguma. 

A indústria dos carros conversíveis perdeu força no Brasil a partir do momento em que a segurança passou a ser um fator de risco aos motoristas. Desse modo, a maioria dos modelos que temos em território nacional veio de fora, provavelmente por um preço alto. 

-No começo, todos eram assim. 

Os primeiros carros do mundo eram conversíveis. Não à toa, o termo ‘cabriolet’ tem origem francesa e se refere à carruagens. Era muito comum, na época referente à categoria, você se deparar com carros totalmente abertos pela rua. 

BOATOS

Teto menor, peso menor. 

Muitos se enganam ao pensar que um conversível é mais leve do que sua versão cupê. O primeiro estilo possui o teto menor, inegavelmente. Entretanto, essa característica induz a necessidade de reforçamento de chassi, para que a aerodinâmica não seja comprometida. 

-O seguro é mais caro pelo carro ser aberto. 

A característica conversível influencia bastante no preço do seguro do automóvel. Mas não é esse o único fator que coloca estes carros nos postos de seguros mais caros. Se tratam de importados, na maioria das vezes – um traço que impacta no preço do seguro tanto quanto a categoria.

Comentários