Um lugar onde mais de 90% do território é montanhoso. Talhado pelos Pamir, uma das cordilheiras mais altas do mundo, o Tadjiquistão é um país localizado na Ásia Central, vizinho da China e do Afeganistão. Seus altos relevos testemunharam a Rota da Seda e a estabilização de diversos reinados de diferentes crenças e culturas. Independente desde 1991, esta nação que fazia parte da extinta União Soviética é a protagonista do Intercâmbio do Balconista S/A.

Carro do Tadjiquistão

O Tadjiquistão chama a atenção pela sua paisagem, como o pico Ismoil Somoni, com 7.495 m, mas também pelas estradas que formam o sistema nervoso rodoviário deste lugar. O país tem a segunda via mais alta do mundo, a M41. Ela cruza a nação asiática por quase toda a sua extensão, principalmente pela cordilheira Pamir, além de percorrer o Afeganistão, Quirguistão e Uzbequistão. Seu ponto de mais altitude é o passo Ak-Baital, que está a 4.655 m. 

A principal parada da M41 é a cidade de Duchambé, a capital do Tadjiquistão.  Na língua local, o tadjique, uma variedade moderna do persa, o nome do município significa segunda-feira, em homenagem a um famoso mercado popular que funcionava nesse dia da semana. Aqui fica a X-Avto, uma importante autopeça deste país, e nossa fonte para conhecer mais sobre o cenário do setor neste lugar.

O nosso guia é o gerente da X-Avto, Hurshed Khashimov, de 38 anos. Ele está no ramo das autopeças desde 1998.  Segundo ele, a maioria dos tadjiques chegam no estabelecimento com problemas mecânicos e elétricos, principalmente nos componentes de chassi e motor. A loja foi fundada em 2004 e tem uma média de 70 clientes por dia, um bom número para uma cidade como Duchambé, que tem cerca de 800 mil habitantes. 

Para atender bem os seus clientes, a X-Avto conta com seis balconistas, que assim como no Brasil recorrem aos catálogos manuais e também aos guias online para encontrar os componentes. Na loja são vendidas peças novas, que vem de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e usadas, normalmente vindas da China. 

Segundo Khashimov, as principais marcas vendidas no país são Toyota, Lexus, Mercedes e Hyundai. “As pessoas costumam trocar de carro com frequência. Mas na grande maioria, os automóveis são de segunda mão”, revela.

Off-road

Pelo terreno montanhoso, os off-roads são uma necessidade para muitos tadjiques. Talvez esse fato faça com que um dos carros mais populares no país seja o Toyota Land Cruiser. O veículo da montadora japonesa é fabricado desde 1951, mas ganhou popularidade no Tadjiquistão após a independência da nação em 1991. 

A versão atual do carro é chamada de J200 e é fabricada no Japão e na China. Muitos desses carros chegam através dos vizinhos chineses ao Tadjiquistão, mas outros chegam importados de concessionárias dos Emirados Árabes Unidos, principalmente de Dubai.

Outro modelo de sucesso no país é o sedã Toyota Camry, além da camionete Hilux, também da montadora japonesa. A Lexus é outra marca que tem uma parcela importante do mercado automotivo do Tadjiquistão.

Comentários