Atualmente existem em torno de 200 países no mundo. Alguns são mais conhecidos que outros, mas todos possuem suas próprias histórias e peculiaridades. O Turcomenistão é um ex-território soviético localizado na Ásia Central.

Um país que passa despercebido pela maioria das pessoas, o território do povo turcomeno possuí diversas peculiaridades no meio automotivo. Que vão desde leis absurdas a um ditador excêntrico.

Ilustração Turcomenistão

Presidente versus carros pretos

O presidente Gurbanguly Berdimuhammedow, que está no poder desde 2006, é um homem peculiar apaixonado pelo seu país e bastante supersticioso. O governante acredita que a cor branca traz sorte, então os prédios de mármore das cidades, seus cavalos, a maioria de suas roupas e os carros de todo Turcomenistão são brancos.

Tudo começou em 2014 quando Berdimuhammedow informou que todos os veículos do alto escalão do governo deveriam ser trocados por Mercedes Benz E300 da cor branca. Mas isso foi a primeira etapa de um – provável – plano mirabolante para padronizar os veículos do país.

No ano seguinte, o ditador publicou um decreto que proíbe a importação de carros pretos. Mas foi nos primeiros dias de 2018 que a cor oficial dos veículos é branca, em todo o território. Os automóveis da cor preta foram banidos durante a virada do ano, a medida entrou em vigor sem anúncio prévio e diversas pessoas tiveram seus carros rebocados.

Além disso, na capital do país, veículos de todas as cores – exceto os brancos – foram apreendidos e seus donos foram multados por não se adequar a nova regra. Os motoristas que foram liberados ou que resgataram os automóveis nos pátios tiveram  que assinar um termo de compromisso. No qual eles assumiam a responsabilidade de pintar o automóvel de branco – no máximo de prateado.

Toda essa confusão causou uma escassez de tinta branca e o presidente foi acusado pela oposição de forçar as pessoas a contraírem dívidas, sendo que o governo iria lucrar com tudo isso.

Vivo ou morto?

Em julho de 2019, surgiram boatos afirmando que Berdimuhammedow estava morto. Essas especulações se espalharam pelo fato de que o presidente, cujo aparecia na mídia todos os dias, ficou sumido por 4 semanas.

Para provar que estava vivo, o presidente apareceu “ao vivo” dirigindo um carro em círculos próximo a uma cratera flamejante. Quando isso aconteceu diversas pessoas ainda continuaram duvidando da veracidade de sua aparição, mas Berdimuhammedow provou que estava vivo ao comparecer em uma reunião de um fórum econômico local.

IIustração mão saindo do solo do Turcomenistão

Mulheres no volante

Apesar de parecer um país um tanto cômico, por conta de suas leis e os hábitos curiosos de seu presidente. O Turcomenistão vive uma ditadura e é o terceiro país que mais censura a mídia no mundo – atrás da Eritréia e da Coréia do Norte.

No mesmo ano que os carros pretos foram proibidos, as mulheres, que já tinham dificuldade em tirar a carteira de motorista, foram estritamente proibidas de dirigir veículos no país.

Segundo a mídia local, a perseguição às mulheres começou ainda em 2017, quando as autoridades paravam os carros dirigidos por elas e avisavam que não poderiam voltar a conduzir o veículo – mas não explicavam os motivos.

Apesar de não ser comprovado, os jornais locais afirmaram que a decisão foi tomada pelo ministro do interior, Isgender Mulikov, que culpou as mulheres de causarem a maioria dos acidentes de trânsito do país.

Mulher nativa do Turcomenistão

Um presidente peculiar

Apesar de comandar uma ditadura, Gurbanguly Berdimuhammedow tenta passar uma imagem de um homem “descolado” e jovial. É fácil de encontrar vídeos dele cantando em uma banda de rock eletrônico de quinta categoria e distribuindo cachorros de presente para líderes mundiais.

Em setembro de 2018, o presidente participou de uma corrida de classificação, de um rali local. A bordo de um Mini Cooper modificado – segundo o governante por ele mesmo –, o ditador realizou um percurso de 9 quilômetros e venceu a primeira etapa da corrida, mas não participou das etapas seguintes.

Além disso, o ditador postou um vídeo onde ele, supostamente, realiza algumas acrobacias de drifting na pista de corrida que está localizada dentro do terreno do Ministério do Interior do país, ações que causam diversas críticas. 

Turcomenistão

A maior parte das noticias que vêm do país são provenientes de canais independentes e de países próximos. Enquanto a mídia estatal aborda os acontecimentos de maneira otimista e até cômica, as mídias independentes não poupam esforços para criticar as atitudes do presidente, como o fato de proibir a circulação de carros de uma cor enquanto o país está com um enorme índice de desemprego e fome.

Ilustração de carro

Compartilhe

Comentários