Diversas histórias já foram contadas aqui no Balconista S/A, normalmente trazemos pessoas que trabalham há 20 anos ou 30 anos atrás do balcão. Desta vez trouxemos o rosto de uma nova geração de balconistas, o rosto de Vitor Neves.

No Brasil, muitos jovens começaram a trabalhar muito cedo, Vitor Neves de 22 anos foi um deles. Após a perda de seu pai, o jovem de 14 anos teve que encarar a vida adulta precocemente e começou a trabalhar na Autopeças Lopes & Oliveira, no bairro de Rio Pequeno, Zona Sul de São Paulo.

Sua vida atrás do balcão não é muito diferente da vida de outro balconista, ele sofre com clientes malcriados, dá risada com colegas atrapalhados e trabalha muito para garantir a ordem no estabelecimento.

“É correria viu? Telefone tocando o tempo inteiro, você está aqui e estão pedindo peças ali, atendendo um aqui, depois outro ali, é corrido. Tem horas que você esquece de fazer as coisas, aí é cliente ligando para reclamar, porque você esqueceu de fazer algo, é complicado”, conta.

Por ter um dia a dia bastante corrido e estressante, Vitor divide seu tempo livre em três partes: jogar online, praticar Air Soft e sair com sua namorada.

Vitor Neves

Quando não está com sua amada, os fins de semana são dedicados ao Air Soft – uma simulação de guerra, semelhante ao paintball – no qual ele participa de um time viaja para cidades como Atibaia e Jundiaí.

As batalhas vão além das simulações reais de guerra, elas também chegam ao mundo virtual. O famoso Counter Strike: Global Offensive, CS GO como é popularmente chamado, é outro hobbie que Vitor dedica muito de seu tempo.

O CS GO é um jogo de guerra no qual existem diversas modalidades, como desarme a bomba ou mata-mata. Sua diversão não se resume em apenas jogar, mas também transmitir as partidas online, via Twitch TV (plataforma online de transmissão).

“Como eu comecei agora, às vezes dá 300 ou 200 espectadores assistindo as partidas simultaneamente, mas para o começo eu acho que tá bom né?”, conta.

Futuro

O futuro ainda é um incógnita, Vitor é jovem e sonha em trabalhar um dia com tecnologia. Ele diz que o tempo que está passando dentro da Lopes & Oliveira foi uma escola da vida para ele e vai levar muito de seu aprendizado para a vida.

“Se um dia se eu sair daqui, vai ser difícil. Porque eu cresci aqui, eu virei adulto aqui e eu passo mais tempo aqui do que com a minha família.”

Vitor já começou a fazer uma faculdade de engenharia mecânica, mas depois de um tempo teve que abandonar por falta de interesse e por questões monetárias, mas garante que vai voltar a estudar. “Cara, sinceramente, meu desejo pessoal é ir para área de computação, TI e essas coisas entendeu.”

vitor neves

Amizades

Além da correria diária, o cotidiano na loja é bastante divertido. “Se você ficar aqui um dia, você vai ver que é um lugar bem descontraído. É um zoando o outro por causa de futebol e não sei o que, é um zoando o time do outro, 90% do dia é só futebol.”

Ele completa dizendo que em dia de jogos é quase impossível mexer no grupo de WhatsApp da empresa. “Você tá assistindo o jogo de boa quando do nada o grupo está com cem áudios! Caramba! Os outros caras ficam mandando mais áudio zoando o adversário do que assistindo ao jogo!”

Orgulho

Vitor Neves é um jovem que precisou tomar conta de casa, que enfrentou a vida adulta e não deixou “a bomba explodir”. Ele garante que seu pai estaria orgulhoso de sua atitude de ter ajudado sua mãe que entrou em depressão, que correu atrás e não abaixou a cabeça.

“Acho que ele ia ficar orgulhoso. Eu poderia muito bem ter ficado em casa, porque eu era uma criança, poderia ter aceitado a situação do jeito que era, poderia”.

Compartilhe

Comentários