Há muitas formas de descobrir o mundo do automobilismo. Enquanto os jornais eram a fonte mais preciosa dessas revelações na primeira metade do século passado, a TV hoje tem uma força muito maior. E não só a TV: o próprio cinema ganhou um papel central. Conheça alguns dos filmes de carros que marcaram o cinema mundial ao longo dos anos.

Não são apenas ficcionais: há uma série de documentários biográficos produzidos sobre importantes figuras das corridas. Ayrton Senna e Emerson Fittipaldi são exemplos disso no Brasil. Os pilotos de Fórmula 1 britânico e austríaco James Hunt e Niki Lauda também ganharam um filme baseado em sua amizade e rivalidade nas corridas.

Filmes de carros infantis também são importantes e podem facilmente entrar para essa lista: afinal, eles plantam uma semente na cabeça de muitos jovens, que podem acabar tomando gosto pela coisa. A Walt Disney Pictures já produziu películas interessantes e marcantes sobre os cenários emocionantes do automobilismo.

Com milhares de obras sobre esse tema produzidas até hoje, é inevitável que algumas se destaquem e acabem se tornando clássicas. Confira algumas delas, listadas abaixo em ordem cronológica.

Os carros no cinema

1. Grand Prix (1966)

Por 1 minuto, esse filme teria 3 horas inteiras. Lançado em 1966, mais de 50 anos atrás, ele apresenta um mosaico de 4 histórias interessantes acontecendo ao mesmo tempo. São 4 pilotos de Fórmula 1: o primeiro francês, chamado Jean-Pierre Sarti, outro estadunidense, Pete Aron, outro britânico, Scott Stoddard, e, o último, italiano, Nino Barlino.

O enredo consiste em contar como suas histórias se entrecruzam ao disputarem uma mesma corrida: a Fórmula 1 de 1966. Pode facilmente se encaixar no gênero drama, porque as situações traçadas retratam traições, vitórias, angústias e mortes.

Passando pela vida de cada um dos 4 pilotos, a película tenta mostrar as aflições e a pressão de participar de uma modalidade tão grande, acompanhada de perto pelo mundo inteiro.

O filme foi produzido por Edward Lewis, dirigido por John Frankenheimer e escrito por Robert Alan Aurthur. Sua qualidade técnica o fez conquistar 3 Academy Awards (conhecido popularmente como Oscar) em 1967, nas categorias: Melhor edição de Som, Melhor Montagem e Melhor Mixagem de Som.

Sua trilha sonora foi composta por Maurice Jarre, e ele contava com um elenco internacional. Atores como James Garner, Eva Marie Saint, Yves Montard, Brian Bedford, Jessica Walter, Françoise Hardy e Antonio Sabàto fizeram da trama um grande clássico mundial, reconhecido até hoje dessa forma.

Até mesmo pilotos importantes, campeões de Fórmula 1, fizeram aparições especiais. Phil Hill (vencedor em 1961), Graham Hill (1962 e 1968), Juan Manuel Fangio (1951, 1954, 1955, 1956 e 1957), Jim Clark (1963 e 1965), Jochen Rinddt (1970) e Jack Brabham (1959 e 1960) atuaram no filme em pequenos papéis.

2. Se Meu Fusca Falasse (1968)

Talvez as gerações mais jovens o conheçam como “Herbie, Meu Fusca Turbinado”, produzido muito mais tarde, em 2005. Afinal, o personagem Herbie, um fusquinha branco com uma listra azul e outra vermelha, o número 53 estampado pela sua lataria, marcou o cinema mundial com várias aparições ao longo das décadas.

Apesar de ter sido lançado pela primeira vez em 1968, com o nome “The Love Bug” (ou “Se Meu Fusca Falasse”, em português), mais 5 filmes conseguintes retomaram o famoso fusca como personagem central.

Foram mais 3 histórias originais: “As Novas Aventuras do Fusca”, de 1974; “Um Fusca em Monte Carlo”, de 1977; e “A Última Cruzada do Fusca”, de 1980. E, também, mais 2 remakes: “Se Meu Fusca Falasse”, de 1997; e “Herbie – Meu Fusca Turbinado”, com a atriz Lindsay Lohan, de 2005.

Todas as histórias foram produzidas pela Walt Disney Company, que deu vida a um modelo de fusca de 1963, cheio de inteligência e carisma. Nas histórias, o fusca corredor era invariavelmente um corredor profissional. Para isso, nas filmagens em que Herbie corria, seu motor era substituído para o motor de um Porsche 356.

A película chegou a inspirar até mesmo pilotos famosos: Alexander Rossi, corredor estadunidense de F1, escolheu o número “53” em homenagem ao personagem.

Se Meu Fusca Falasse, 1968

Herbie – Meu Fusca Turbinado, 2005

3. O Fabuloso Fittipaldi (1973)

A família Fittipaldi deixou grandes marcas no automobilismo brasileiro e mundial. Wilsinho Fittipaldi era um famoso radialista do Rio de Janeiro, pai de Wilson e Emerson Fittipaldi, ambos pilotos importantes de corrida. O neto de Wilsinho, Christian Fittipaldi, também se destacou como piloto e corredor de Fórmula 1, no começo dos anos 90.

Embora todos tenham trilhado carreiras interessantes (para dizer o mínimo), Emerson Fittipaldi subiu ao pódio do campeonato mundial: vencedor de F1 em 1972 e 1974. Um ano antes de conquistar seu segundo título, um filme documentário foi produzido sobre sua vida e seus treinos.

“O Fabuloso Fittipaldi”, de 1973, é um longa-metragem dirigido por Héctor Babenco e Roberto Farias, que conta com a participação do próprio Emerson, Jackie Stewart e a esposa Maria Helena Fittipaldi. O filme retrata sua carreira como piloto – desde as competições de kart até o campeonato mundial. Mas também fala sobre seus treinos e sua rotina.

Foram três meses de filmagem em países diversos: Alemanha, Inglaterra, França, Áustria e Brasil. O longa foi premiado com o “Prêmio Coruja de Ouro”, do Instituto Nacional de Cinema, e com o “Prêmio APCA”, da Associação Paulista de Críticos de Arte – em categorias técnicas e gerais.

4. Velozes e Furiosos (2001)

É muito difícil que um fã de filmes de carros não tenha ouvido falar dessa franquia. Velozes e Furiosos, afinal, parece lançar um filme a cada dois anos, e já conta com um total de 8 películas. Talvez devesse até mesmo ser categorizado como uma série. Mas tudo começou em 2001, com um filme original que era essencialmente de ação.

A história era a seguinte: um grupo de assaltantes, liderados por Dominic Toretto (estreado por Vin Diesel), encontra-se para planejar um assalto a um caminhão de carga. Em uma rua deserta, e usando seus carros modernos e ágeis, a gangue consegue assaltar um veículo que transportava diversos aparelhos eletrônicos e valiosos.

A partir daí, a polícia local, liderada por Brian O’Conner (Paul Walker) começa a perseguir os rastros do grupo para descobrir quem pode ter sido o responsável pelo roubo. Brian, no entanto, passa boa parte do filme convivendo com Dominic, também corredor de rua, sem perceber que ele pode estar por trás de tudo.

Dirigido por Rob Cohen e produzido por Neal H. Mortiz, o filme usou um orçamento de 38 milhões de dólares – e arrecadou quase 5 vezes mais do que isso. O sucesso de bilheteria levou a várias outras gravações posteriores. Foram 7 filmes na sequência, ao todo, continuando com o mesmo tema e o gênero de ação.

A previsão era de que o 9º fosse lançado em maio de 2020, mas foi adiado para abril de 2021.

2001

2021

5. Carros (2006)

Difícil mesmo é não ter topado com esse desenho da Pixar Animation. Lançado pela Walt Disney Pictures em 2006, o longa-metragem concorreu a dois Óscars e foi premiado pelo Annie Award e pelo Globo de Ouro como Melhor Animação.

Seu codiretor e co-roteirista Joe Ranft morreu em um acidente automobilístico durante a produção, e o filme é dedicado a ele. O roteiro é de Dan Fogelman e a direção é de John Lasseter. Essa foi a última película produzida pela Pixar antes de ser vendida para a Disney em 2006. O orçamento foi de impressionantes 120 milhões de dólares e a bilheteria de 462.

A história é protagonizada por personagens-carros. Não há presença humana: os veículos de diferentes formatos interagem entre si e têm sentimentos e conversas como as dos homens. No filme, um famoso e mesquinho carro de corrida, Relâmpago McQueen, está disputando a “Copa Pistão”, mais importante categoria de corridas no mundo.

Ele é um forte candidato a conquistar a taça, mas acaba se perdendo no meio da Rota 66 por acidente, em uma viagem. É obrigado a permanecer em uma cidadezinha chamada Radiator Springs, esquecida pelos turistas, até que acabe de consertar uma rua que ele próprio destruiu na chegada à cidade. Irritado, ele tenta sair logo dali, com medo de perder a Copa.

Sua irritação lentamente se transforma em carinho por aqueles personagens e pela própria cidade, que vai ganhando cores diferentes ao longo do filme.

O sucesso de bilheteria trouxe outras duas sequências alguns anos mais tarde. Carros 2 foi lançado em 2011 e Carros 3 em 2017. Além deles, outros dois spin-offs foram produzidos pela DisneyToon Studios, chamados Aviões, lançado em 2013, e Planes: Dire & Rescue, em 2014.

6. Senna: O Brasileiro, O Herói, O Campeão (2010)

Senna é outro dos documentários dessa lista, mas foi produzido tanto pelo Brasil quanto pelo Reino Unido, França e Estados Unidos. Distribuído pela Universal Pictures, fez sucesso no mundo inteiro. No Brasil, tornou-se um dos mais assistidos no seu ano de lançamento, e, no Japão, ficou entre os mais assistidos no mês de estreia.

Ayrton Senna foi um piloto mundialmente famoso pela sua quantidade de títulos conquistados. Só na Fórmula 1, foram três deles: em 1988, 1990 e 1991. Vários diretores cobiçaram retratar sua vida nas telas do cinema, mas foi apenas depois de sua trágica morte, em 1994, que isso de fato aconteceu.

O documentário conta mais sobre a carreira de Senna entre 1984 e 1994, dando uma atenção especial para a sua rivalidade com o piloto Alain Prost. Em cenas do início e do final do filme, o piloto faz críticas duras às competições famosas de que participa, apontando para a sua corrupção – falando sobre como sempre envolviam dinheiro e política.

O filme se encerra com cenas de seu acidente no Grande Prêmio de San Marino de 1994, realizado na Itália. As comoções são retratadas tão bem como sua trajetória, fechando o documentário. As cenas reais estão sempre presentes no enredo.

Ayrton Senna foi retratado em vários outros filmes de carros famosos. Entre eles, vale citar Alta Velocidade, de 2001, que fez uma homenagem ao piloto brasileiro.

7. Rush: no limite da emoção (2013)

Lançado em setembro de 2013, Rush conta com um elenco conhecido: Chris Hemsworth, Daniel Bruhl e Olivia Wilde estrelam as cenas. Dirigido por Ron Howard, foi produzido pelos Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido e distribuído pela California Filmes. Seu orçamento foi de 38 milhões de dólares.

Apesar de não ser do gênero documentário e sim um filme de ficção, ele é baseado em fatos reais. Retrata, em suma, a relação de dois importantes corredores de Fórmula 1: Niki Lauda (Daniel Brühl) e James Hunt (Chris Hemsworth).

Os dois pilotos eram conhecidos por serem amigos e rivais a um só tempo: e muito diferentes um do outro (o primeiro metódico e o segundo mais despretensioso). O enredo constrói essa relação aos poucos: desde a primeira corrida em que competem juntos, em uma Fórmula 3 em Londres, em 70, com vitória de Hunt, até a aposentadoria de ambos.

É no fim do filme que percebem que, no fundo, admiravam-se o tempo todo.

As cenas foram gravadas em carros de Fórmula 3 (categoria abaixo da Fórmula 1). O filme foi apresentado no Festival Internacional de Cinema de Toronto, em 2013, e foi vencedor de um British Academy Film Awards, além de um Santa Barbara Internacional Film Festival.

8. Ford vs Ferrari (2019)

O último dessa lista também é um dos filme de carros mais recente. Concorreu a quatro categorias do Oscar de 2020, incluindo a de Melhor Filme do Ano, e venceu a de Melhor Edição de Som e a de Melhor Montagem. Essa é uma produção estadunidense dirigida por James Mangold e roteirizada por Jez Butterworth, John-Henry Butterworth e Jason Keller.

O filme conta a história de uma equipe de designers e engenheiros contratada por Henry Ford II e Lee Iacocca. A ideia dos dois era produzir um novo carro de corrida, capaz de ultrapassar a potência de uma Ferrari. O nome do novo modelo seria Ford GT40 e a corrida almejada era a das 24 Horas de Le Mans, na França de 1966 – uma corrida de resistência.

A película é estrelada por Matt Damon e Christian Bale e foi distribuída pela Walt Disney Studios Motion Pictures. O orçamento utilizado foi de 97,6 milhões de dólares e o valor arrecadado mundialmente foi de quase 225 milhões. O diretor conta ter usado muitos efeitos especiais para a sua produção.

Foi baseado em uma “incrível” história real, como o próprio trailer diz.

Compartilhe

Comentários