O mercado automotivo precisa repensar o significado de parceria no setor. Para que a cadeia possa evoluir a visão sobre esse termo precisa mudar, e todos devem entender que as montadoras e os fabricantes de autopeças, apesar de conflitarem em alguns pontos, dependem muito um dos outros. Se trabalharem juntos, focando na qualidade, o resultado final para o consumidor é muito melhor.

Nesse cenário, as comissões de qualidade da Anfavea e do Sindipeças, com apoio do IQA, começaram a realizar, há cerca de três anos, reuniões e eventos conjuntos onde identificaram a necessidade dessa parceria pelo fato de muitos temas serem comuns, ainda que às vezes complementares, às vezes conflitantes. O primeiro objetivo era alinhar e eliminar conflitos em diversos temas que envolviam a qualidade, já que antes era cada um em seu mundo, com interpretações e reivindicações particulares.

Revendo a parceria no mercado_Site

Um exemplo de uma situação conflitante bastante recorrente era a discussão dos requisitos específicos da montadoras pelas fabricantes de autopeças sem chegar a um entendimento claro das recomendações. Atualmente, nas reuniões da comissão conjunta, o Sindipeças tem a possibilidade de apontar as maiores dificuldades. Assim, a relação entre as duas partes já é bem mais transparente e quando as empresas de autopeças pedem derrogas o setor consegue interpretar o motivo do desvio, buscando a melhoria continua do sistema de qualidade.

O resultado dessa discussão aberta na mesma mesa entre montadoras e sistemistas é a simplificação de processos e a agilização de aplicações. No fim, isso tudo melhora a qualidade do produto e do processo, e a também a própria interpretação do sistema de qualidade. Esse trabalho conjunto melhora todas as etapas do processo de produção e distribuição, inclusive diminuindo o prejuízo para o cliente final.

Todas essas demandas são o foco de trabalho do IQA e parte dos serviços oferecidos por ele vem das questões levantas nessas discussões. Os envolvidos esperam aprimorar a qualidade dos produtos nacionais para melhorar a satisfação do consumidor final e, por consequência ter uma qualidade reconhecida internacionalmente. E você, como vê essa parceria no mercado?

Compartilhe

Comentários