Se hoje alguém chegasse para você e falasse que esse é o momento certo para abrir um negócio provavelmente você acharia essa pessoa louca, certo? Todo mundo sabe que a economia não anda bem e o cenário é de incertezas, mas, segundo dados do Serasa Experian, 800 mil empresas foram abertas no país entre janeiro e maio deste ano.

Em 2010, ano de maior crescimento econômico do Brasil desde o início da crise, foram abertas 575 mil empresas no mesmo período, número que é 69% menor se relacionado ao de hoje. Essas pessoas, segundo especialistas, não estão erradas, a crise é um bom tempo para investir. O empreendedor Vitor Torres, fundador do Contabilizei, uma plataforma de contabilidade especializada em prestadoras de serviço, listou cinco motivos para abrir um negócio em épocas de crise. Confira:

shutterstock_287096177

Segurança social

É claro que abrir qualquer negócio exige disposição para risco, mas isso não quer dizer que o empresário está desamparado. Além do Microeemprendedor Individual (MEI), para empresas com rendimento de até 60 mil por ano, ainda temos a EIRELI e a LTDA. Considerando tudo isso, e pensando também na aposentadoria e na contribuição mínima de INSS, o consultor contábil te ajuda para decidir o melhor caminho.

Condições de crescimento

Geralmente após um movimento de crise se segue um ciclo de crescimento vertiginoso, por isso começar um empreendimento agora é preparar-se para crescer em seguida. Dessa forma, quando o momento do crescimento vier o negócio estará preparado para os bons ventos.

Mercados aquecidos

Em períodos de crise alguns mercados continuam muito aquecidos, como é o caso dos serviços. Hoje, o setor é responsável por 75% dos empregos formais e representa mais de 60% do PIB nacional. Portanto, em qualquer negócio, é estratégico oferecer algum tipo de serviço, ainda que esse não seja o segmento principal, isso garante movimento constante.

Corte de vagas

As empresas não estão efetivando nem promovendo, ou os cargos ficam estagnados, ou pior, as pessoas acabam desempregadas por causa do corte de custos. Sendo assim, empreender é a melhor opção, já que crescer, ou mesmo permanecer, dentro de uma empresa fica bem difícil.

Fim da burocracia

Desde fevereiro o programa “Bem Mais Simples”, que é um pacote de medidas que visa aliviar parte da burocracia na abertura de micro e pequenas empresas, está vigente. Além disso, a Receita Federal criou, recentemente, um sistema para facilitar a abertura, regularização e fechamento de empresas. Outra coisa que ajuda muito são os serviços de contabilidade online que agilizam o processamento e o fluxo contábil.

Compartilhe

Comentários