A lista é longa e pode confundir muita gente na hora de escolher o estilo do carro; entenda as características dos diferentes tipos de carroceria.

No universo automotivo, os veículos fazem parte de distintas categorias. Uma das maneiras mais simples de identificá-los é analisando os formatos da carroceria. É mais alta? Comprida? Afinal, o que define um hatch? Qual a diferença para um sedan? E um SUV? 

Enfim, cada configuração apresenta suas vantagens e desvantagens, e cabe ao motorista observar esses pontos na hora de escolher seu carro ideal. Para atender a públicos distintos, as montadoras sempre ofereceram diferentes carrocerias para um mesmo modelo – por exemplo, Ford Fiesta versão hatch ou sedan.

Para entender melhor as características dos automóveis, confira o nosso guia completo sobre os tipos de carroceria.

Tipos de carroceria

Vamos abordar 10 modalidades, uma por uma, seguindo a ordem do índice abaixo: 

  • Sedan
  • Hatch
  • Perua (ou Station Wagon)
  • SUV
  • Cupê
  • Fastback
  • Targa
  • Roadster
  • Minivan (ou monovolume)
  • Van

Sedan

Todo sedan possui o porta-malas separado do interior do veículo, sem que a tampa do compartimento esteja relacionada ao vidro. Assim, é comum que sejam carros mais compridos que as versões hatch (que você verá no próximo item).

A carroceria fica nitidamente dividida em três setores: uma para o cofre do motor; outra para o habitáculo, e a última para o porta-malas. Normalmente, esses carros têm boa dirigibilidade e agradam grande parte do público urbano. 

Hatch

Diferentemente do sedan, o hatch divide-se em dois volumes: o traseiro – com vidro acoplado ao porta-malas (este ligado ao habitáculo), e o cofre do motor, na frente. Desse modo, sua carroceria é mais curta, e o compartimento de carga não costuma ser tão espaçoso, assim como o veículo no geral. Ainda assim, o espaço é muito bem otimizado. 

Perua (ou Station Wagon)

Extintas no mercado brasileiro, as peruas unem as características do hatch (carroceria de dois volumes, com porta-malas integrado ao vidro) e a longitude do sedan. 

Com base mais baixa e maiores dimensões, o proprietário pode acomodar grandes volumes no porta-malas.

A perua é um dos tipos de carroceria extintos no mercado brasileiro

SUV

Entre os diversos tipos de carroceria, o que mais cresceu em popularidade no século XXI foi a SUV. Mas, embora sejam modelos conhecidos e renomados, ainda restam dúvidas sobre a definição do termo. A sigla SUV abrevia o termo Sports Utility Vehicle (veículo esportivo utilitário, em tradução livre). 

Inicialmente, o conceito tinha como base o chassi de uma picape – porém sem caçamba – adotando banco traseiro e porta-malas tradicional. Por conta da maior altura em relação ao solo e da tração 4×4, a SUV é versátil, adaptando-se bem a vias rurais, por exemplo.

O SUV é um dos mais badalados tipos de carroceria na atualidade

Nos últimos anos, vários requisitos foram abandonados, e são chamados de SUVs os modelos monoblocos, com tração dianteira e altura elevada do chão. Hoje, outros aspectos que recebem atenção nesses veículos são a aerodinâmica, a posição de dirigir e o desempenho na estrada. 

Em suma, a silhueta e arquitetura não são mais fatores tão decisivos, e um SUV pode trazer linhas de outras carrocerias, como perua ou fastback, desde que existam conjuntos utilitários e esportivos. 

Cupê

Priorizando o design do modelo, os cupês trazem linhas fluídas; a capota, por sua vez, descreve uma caída suave, formando uma espécie de cauda. Há algumas décadas, a definição para esses exemplares era a presença de apenas duas portas, mas isso vem sendo deixado para trás com o tempo.

Fastback

Assim como o cupê, este tipo carrega linhas fluidas e suaves, mas com a diferença de possuir um traço bastante inclinado na metade traseira. Resumindo, a caída do teto é prolongada até o final do comprimento, e, consequentemente, torna-se mais nítida ao olhar. 

Um exemplo icônico dessa configuração é o Ford Mustang.

Conversível

Chegamos a um dos mais conhecidos e comentados formatos de carroceria. Embora muitas vezes associado à esportividade e à ostentação, a principal característica desse modelo é a capota removível ou ausente. Além disso, a variedade de carros conversíveis é enorme atualmente. Existem sedãs, cupês, hatchs, e até mesmo SUVs descapotáveis. 

O conversível é um dos tipos de carroceria com o maior número de variações

Targa

Às vezes confundido com o conversível, o Targa possui uma diferenciação: a capota só é removível acima dos bancos dianteiros. Uma parte dela permanece ligada às colunas do veículo, e o teto que pode ser removido costuma ser rígido. Exemplo desse formato é o Porsche 911 Targa.

Roadster

Importante enfatizar que nem todo conversível é um roadster. Para fazer parte dessa divisão – que também pode receber o nome de spider ou spyder – o modelo deve possuir apenas dois lugares, além de aparência e características esportivas. 

Os vários tipos de carroceria podem confundir nossa cabeça ao diferenciá-los

Na definição original, o carro ainda precisa ter uma mecânica específica, com motor dianteiro e tração traseira. No entanto, algumas montadoras já fugiram dessa exigência.

Minivan (ou Monovolume)

Trata-se de uma carroceria monovolume, sem porções definidas e com uma linha contínua. Na virada para os anos 2000, muitos fabricantes apostaram nesse estilo, mas a configuração perdeu seu espaço no mercado para os SUVs. Hoje, no Brasil, apenas um modelo com esse formato vem sendo fabricado: o Chevrolet Spin. 

Van

Este tipo de carroceria também compõe um volume único, mas com porte maior em comparação à minivan, como os nomes já indicam. A partir disso, a van geralmente conta com uma proposta mais comercial.

O modelo é reto nas laterais, o que contribui para otimizar a configuração interna a fim de permitir o transporte de carga ou vários passageiros.

Compartilhe

Comentários