O Balconista S/A apresenta nesta edição um dos motores mais complexos da última década. O W16 tem 16 cilindros distribuídos em W, o que se pode traduzir em quatro fileiras de quatro cilindros. Ele foi criado com o propósito de concentrar a potência de dois V8 em um pequeno espaço.

O primeiro carro a levar o W16 foi o Bentley Hunaudières em 1999

O Grupo Volkswagen é o único fabricante de automóveis que atualmente produz o motor W16. O design dos alemães é uma forma  “esticada” do modelo W12, que é baseado na tecnologia do VR6, que consiste em seis cilindros  distribuídos em duas fileiras de três.

O primeiro carro a levar o W16 foi o Bentley Hunaudières em 1999. O carro conceito teve o motor adaptado e modificado pela montadora britânica para gerar uma potência de seis mil revoluções por minuto, com uma velocidade máxima de 350 km/h.

Atualmente, o W16 é utilizado pelo Bugatti Chiron, um dos carros mais rápidos do mundo. O modelo da marca francesa consegue produzir 1500 cavalos de potência e alcança os 100 km/h em apenas 2,5 segundos. O motor precisa de 10 radiadores para refrigerar o conjunto, um monstro.

No caso da Bugatti, o motor W16 quad-turbo de 8 litros tem um sistema de turboalimentação de dois estágios que gera 1.600 Nm de torque com uma curva de potência quase linear entre 2.000 e 6.000 rpm. Números incríveis que o tornam um dos motores mais cobiçados do mundo.

Comentários