A Rússia recebeu a Copa do Mundo de Futebol de 2018. Foram onze cidades-sede, com 12 estádios diferentes (a capital Moscou recebeu jogos no Luzhniki e no Spartak Stadium). A distância entre elas varia bastante, e ter um carro confortável para se deslocar parece a melhor opção. Para isso, os russos têm escolhido o Kia Rio, carro mais vendido no país da Copa.

A maior distância entre duas cidades-sede é de 2483KM (de Ecaterimburgo a Kaliningrado). E para uma viagem desse porte, nada melhor que um sedã. E a escolha dos russos tem sido pelo Kia Rio justamente por esse motivo: o conforto para viagens de longa distância.

O modelo fabricado pela sul-coreana Kia foi lançado originalmente em 2000, mas atualmente se encontra na quarta geração. E a versão sedã foi a que ganhou maior apreço do público mundialmente, tendo vendido mais de 440 mil modelos em 2016. Atualmente, é negociado por valores que variam entre 52 e 69 mil reais.

Esse sedã tem cerca de 4,4 m de comprimento, 1,74 m de largura e possui apenas uma opção de motor: 1.6 de 123 cv. O câmbio é automático de seis velocidades. A capacidade do porta-malas também é considerável – 390 litros.

A Balconista S/A conversou com o russo Igor Botusov, morador da cidade de Orsk, cidade situada na área fronteiriça entre Ásia e Europa do país. Ele é proprietário de um Kia Rio comprado em 2015 e explicou pra gente o motivo de mais de 15,5 mil modelos serem vendidos apenas no primeiro bimestre de 2018 no país.

O modelo fabricado pela sul-coreana Kia foi lançado originalmente em 2000, mas atualmente se encontra na quarta geração.

“O carro é espaçoso, sendo ideal pra nossa família.. Além disso, é econômico e tem um preço bom para um país como o nosso. Viajo bastante para Moscou (distante cerca de 1750 km de Orsk, uma viagem de praticamente um dia) e considero o Kia Rio bastante confortável para isso”, relatou Igor.

O modelo ainda não é vendido no Brasil, mas a expectativa é de que chegue ainda este ano ao país. Como sua fabricação começou a ser feita também no México, ele já está sendo importado por países como Argentina e Equador. Portanto, a chegada dele por aqui já parece ser questão de tempo.

E se ele fizer o sucesso que faz na Rússia, vamos nos acostumar a ver esse sedã bastante por aí…

Compartilhe

Comentários