Por mais de quarenta anos este motor foi responsável por equipar os automóveis compactos da Renault. Porém, sua fama não ficou restrita apenas ao país francês. Mesmo aparecendo no Brasil apenas em carros de outras montadoras, ele serviu de inspiração para um motor que foi muito popular por aqui. Saiba mais sobre o Renault Cléon-Fonte.

História

Nascido em 1962, o Cléon-Fonte, conhecido também como Sierra ou C-Type, foi uma invenção extremamente tecnológica para a época. Batizado em homenagem ao nome da fábrica que produzia o motor, o C-Type foi fabricado até 2004, sendo substituído aos poucos pelo E-Type, criado nos anos 80.

O responsável pela criação do Cléon-Fonte foi o engenheiro René Vuaillat. Na época, a criação de Vuaillat foi considerada confiável e robusta, o que explica a longevidade do motor no mercado. O C-Type apareceu pela primeira vez no Salão de Genebra de 1962, instalado no Renault Floride S. Ele foi comercializado em carros da Renault em países como Portugal, Espanha, Turquia, Colômbia e Argentina.

Funcionamento

O C-Type era um clássico quatro cilindros em linha do tipo OHV (Over Head Valve, em inglês), ou seja, tinha as válvulas fixadas na cabeça do motor. Além disso era refrigerado a água, contava com virabrequim de cinco mancais, árvore de cames lateral e operava as válvulas por meio de varetas, balancins e uma cabeça de cilindro de alumínio.

No Brasil

Mesmo sendo equipado em carros como o Renault Gordini, que foi vendido no Brasil, o Cléon-Fonte apareceu pelas ruas brasileiras apenas em carros de outras montadoras. Isso porque, o Gordini nacional, fabricado em uma parceria entre Renault e Willys Overland, era equipado com o motor Ventoux, o mesmo usado no Dauphine, outro veículo da montadora francesa que fez sucesso no Brasil.

Por outro lado, a Ford Brasil e a Volkswagen Brasil usaram o C-Type em carros como Corcel e Gol. O Cléon-Fonte agradou tanto ao mercado que foi a inspiração para o desenvolvimento de um motor feito por aqui. A Ford encontrou nele exatamente o que queria: um motor econômico de quatro cilindros extremamente suave e de pouco ruído. Assim surgiu o Ford CHT, que estreou em 1984 na versão Mark III do Ford Escort e, depois, apareceu em carros como Del Rey e Verona.

 

Comentários