Presente há anos no mercado, o parachoque de impulsão é um acessório popularmente conhecido por estar na dianteira de veículos 4×4. Produzido a partir do plástico, ou do metal, ele já exerceu diferentes funcionalidades ao longo do tempo. Contudo, qual será o seu real propósito? Descubra a seguir.

Criação

Sua primeira aparição foi em jipes militares. Com a proposta de os ajudar a se locomover por locais com acessos restritos e não danificar a frente da carroceria, engenheiros projetaram a peça que logo se tornou uma característica de modelos off-road. Outra curiosidade é que, a princípio, o seu nome era quebra-mato.

Funcionalidade ou estética?

Com o tempo, o acessório migrou para veículos de passeio. Como neste caso já não serviam para proteção, surgiu uma questão: para que servem? Muitas pessoas, durante um bom tempo, alegaram que eles serviam para impulsionar os carros. No entanto, essa informação não é verídica.

A resposta é que em metrópoles, onde as ruas já são asfaltadas, não há necessidade para parachoques de impulsão. A não ser que o motorista queira dar uma personalizada na carroceria e trazer uma tendência esportiva ao seu possante.


Iluminar a pista

No caso de alguns carros 4×4 que circulam por estradas pouco iluminadas, o parachoque de impulsão pode vir a calhar. Se instalado, é possível acoplar faróis extras, oferecendo assim uma luz adicional a auxiliar os condutores em períodos noturnos.

Segurança

Apesar dos pontos positivos citados anteriormente, os parachoques de impulsão podem funcionar em convergência com o sistema de segurança. Isso porque um dos problemas registrados por montadoras é que em alguns carros o acessório impede o airbag de ser acionado em colisões.

Outro ponto que compromete a segurança é o apontado por organizações independentes: graves danos causados às vítimas de colisões de trânsito. Ainda que proteja a parte frontal do carro, os parachoques podem ser um verdadeiro escudo a atingir pedestres atropelados.

Comentários