Os carros elétricos vêm ganhando popularidade no mundo todo, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. Como esse tipo de automóvel ainda não chegou em peso no Brasil, muitos têm dúvidas sobre o comportamento desses modelos nas ruas. Vários boatos sobre eles foram disseminados, e a grande maioria não são verdadeiros. Confira os mitos ao redor destes veículos.

carro elétrico de portas abertas

FATOS

– Menos chance de incêndio que um modelo convencional
Segundo a National Fire Protection Association (grupo especialista em incêndios nos EUA), carros movidos a gasolina tem cinco vezes mais probabilidade de pegar fogo quanto um elétrico. Isso não significa que isso nunca possa acontecer. O Tesla Model S teve algumas unidades que tiveram acidentes do gênero, mas foram apenas três de 20 mil automóveis que deixaram a fábrica.

– Baterias duráveis
Os norte-americanos dirigem uma média de 64 quilômetros por dia, de acordo com o Departamento de Transportes dos EUA. Mesmo os veículos elétricos de menor alcance podem percorrer mais de duas vezes essa distância antes de precisarem ser carregados. Entre os elétricos acessíveis, o Nissan Leaf pode funcionar por uma média de 240 km com uma carga, enquanto o Chevrolet Bolt EV aumenta para 383 km, e a versão totalmente elétrica do Hyundai Kona possui uma faixa de operação de 415 km.

carro elétrico andando em estrada.

BOATOS

São carros lentos
Os carros elétricos são normalmente mais rápidos que os convencionais. Isso porque o motor elétrico gera 100% do torque disponível imediatamente. Quando um motorista coloca o pé no acelerador, a transição do estacionário para a velocidade é instantâneo. Como exemplo, o croata Rimac C Two é um dos veículos mais velozes do mundo, alcançando os 415 km/h (em 1,85 segundo chega de 0 a 100 km/h). 

As baterias “viciam” rapidamente
De acordo com relatórios publicados, os modelos Nissan Leaf que eram usados como táxis retiveram 75% da capacidade da bateria após 190 mil quilômetros andados. Diz-se que um dono da Tesla pode ter 90% da vida útil da bateria de seu carro após 320 mil quilômetros. Uma vez esgotadas, as baterias, como 99% das baterias encontradas em carros convencionais, podem ser recicladas. Por exemplo, células de energia em carros elétricos podem ser usadas para armazenar energia solar e eólica, ou podem ser quebradas com seus elementos mais valiosos reutilizados.

– Não ajudam tanto o meio-ambiente
Os motores elétricos convertem 75% da energia química das baterias para alimentar as rodas. Em comparação, os motores de combustão interna convertem apenas 20% da energia armazenada na gasolina. Além disso, esses veículos não emitem poluentes diretos do tubo de escape. 

Comentários