De Los Angeles ao Rio de Janeiro, confira a lista dos modelos inspirados pelo maior evento esportivo do planeta.

Um evento tão marcante e aguardado como a Olimpíada é também uma oportunidade para as montadoras pensarem em lançamentos especiais. Com o tempo, foram desenvolvidas séries limitadas, homenageando os Jogos Olímpicos por meio de detalhes como o nome, cor, adesivos e refinamentos tecnológicos.

Separamos uma lista com cinco séries para você. Continue a leitura e refresque a memória!

1) Volkswagen Voyage Los Angeles 1984

Foto: Reprodução

Vamos por ordem cronológica, partindo de 1984. A iniciativa da Volkswagen veio depois do sucesso tido pela marca em 1982, com o Gol Copa, lançado em homenagem à Copa do Mundo daquele ano, realizada na Espanha. 

Tentando fazer algo parecido para a Olimpíada de Los Angeles, a montadora criou essa série especial, baseada na versão LS do Voyage, reunindo tudo de melhor que havia disponível para o sedã, com itens exclusivos. Porém, o que mais chama a atenção é a sua cor, um azul metálico.  

No entanto, o tiro saiu pela culatra. A tonalidade do automóvel era de fato marcante e facilmente reconhecível, mas isso não atraiu o público. Pelo contrário, foi a razão pela qual ter o carro era considerado um mico. 

Além disso, a cor ousada poderia ser um obstáculo no processo de revenda e em casos de repintura. Com a tecnologia da época, não seria fácil acertar esse tom exato em uma possível restauração. Por esses motivos, o VW Los Angeles não fez sucesso, e apenas 300 exemplares foram produzidos. Atualmente, por se tratar de um item de colecionador, algumas pessoas observam com outros olhos. 

Agora, recordemos o desempenho brasileiro naqueles Jogos Olímpicos: oito medalhas, sendo uma de ouro, conquistada por Joaquim Cruz no atletismo.

2) Chevrolet Monza Barcelona 1992

Foto: Reprodução

Em 1992, foi a vez da Chevrolet repetir a ideia. O Monza de segunda geração, conhecido como Tubarão, foi o escolhido para prestigiar os jogos que aconteciam em Barcelona. Era equipado com um motor 2.0 a gasolina, de 110 cv e 16,6 kg de torque, além de câmbio manual com cinco marchas. 

O modelo ganhou faixas decorativas externas, nas cores amarelo e vermelho, com o escrito “Barcelona” na lateral da carroceria, esta da cor prata argenta. O volante, por sua vez, vinha com o símbolo da Chevrolet contornado em vermelho. Além disso, esse Monza carregava refinamentos técnicos. 

Em terras catalãs, o Brasil obteve apenas três medalhas: duas de ouro (vôlei masculino e Rogério Sampaio, no judô) e uma de prata (Gustavo Borges, na natação). 

Leia também: Carros que a Toyota deu para os campeões da Libertadores

3) Volkswagen Gol e Parati Atlanta 1996

Foto: Reprodução

Os dois carros de entrada da Volkswagen foram os selecionados para homenagear a Olimpíada de Atlanta. O Gol  era equipado com motor 1.6, enquanto a Parati tinha motor 1.8 – os dois aspirados eram da família AP.

A linha contava com ar-condicionado de série e direção hidráulica; as cores eram chamativas, destacando-se o azul e vermelho metálico. Houve, ainda, uma campanha publicitária com a seleção brasileira de futebol, estrelada pelo treinador Zagallo e o goleiro Dida. 

Em 1996, os brasileiros somaram 15 medalhas: três de ouro (vôlei de praia feminino, vela star e vela laser), mais três de prata e nove de bronze. 

4) Volkswagen Gol Série Ouro 2000

Foto: Reprodução

Próxima parada, Sidney, Austrália. E a Volkswagen, mais uma vez, lançou um veículo comemorativo – novamente, o Gol. Mas, diferentemente das ocasiões anteriores, o nome não foi o da cidade dos Jogos, e, sim, “Ouro”, em alusão à principal medalha.

O Gol Série Ouro 2000 possui motor 1.0 16V e, de acordo com a Volkswagen, os equipamentos mais atuais daquela época. Também incluía adesivos comemorativos da Olimpíada nas laterais. 

Ironicamente, o Brasil encerrou a edição sem medalha de ouro. Foram seis de prata, seis de bronze e nenhuma da cor do Gol. 

5) Nissan March e Kicks Rio 2016

Foto: Reprodução

Encerramos a lista com a Nissan, patrocinadora oficial da Olimpíada do Rio de Janeiro, e que, portanto, não deixaria o momento passar batido. Em 2014, mesmo ano em que apresentou o projeto do Kicks (seu SUV compacto) no Salão do Automóvel, a marca inaugurou sua fábrica em Resende, RJ. 

Dois anos depois, com os Jogos Olímpicos aterrisando pela primeira vez em território brasileiro, a montadora desenvolveu versões especiais do Kicks e do March, com o complemento “Rio 16”. Além do teto que pode ser laranja, houve um aplique alaranjado próximo dos faróis de neblina, saias laterais exclusivas com o escrito “Rio 2016” e o logotipo dos Jogos nos para-lamas e na traseira. 

O March já estava disponível há alguns anos no mercado nacional, mas o Kicks era novidade. A série especial de ambos foi limitada e baseada na versão topo de linha. 

Por fim, na primeira e única Olimpíada em casa, o Brasil foi um sucesso tremendo, com 19 medalhas: sete de ouro, seis de prata e seis de bronze. 

Compartilhe

Comentários