A Kombi foi um dos primeiros veículos a serem produzidos no Brasil e representou um marco da indústria automobilística brasileira.

Em 2020, a Volkswagen Kombi completou 70 anos de história, e não faltaram motivos para os brasileiros celebrarem. Afinal, é difícil encontrar alguém que não goste ou nunca tenha andado em uma Kombi, cuja produção em nossas terras teve início em 1957, e logo conquistou o público. 

A Kombi foi fabricada a partir do primeiro Fusca e, mesmo após a sua chegada triunfal no Brasil, ela ainda contava com peças importadas. O conceito da Kombi foi idealizado pelo holandês Ben Pon, que viu na plataforma do primeiro Fusca – o Type 1 – possibilidades de criar um furgão comercial. 

Os primeiros protótipos datam do fim dos anos 1940, quando Ben Pon tentava obter aprovação do desenho pela Volkswagen. O modelo tinha o mesmo entre-eixos do Fusca, já que usava a mesma estrutura.

A Kombi tomou a dianteira em vários aspectos. Com sua construção do tipo monobloco, o modelo foi um dos primeiros do tipo “forward control”, isto é, o motorista à frente de todos os comandos. Assim, o motor e demais sistemas ficam posicionados abaixo ou atrás do condutor.

Essa configuração permitia melhor aproveitamento do espaço interno, algo crucial para uma base pequena como a do Fusca.

Kombi vermelha e branca

Evolução da Kombi

O primeiro motor da Kombi alemã era um 1.1 boxer com apenas 24 cv.; depois, o veículo foi ganhando seus incrementos, como motores mais potentes e maior capacidade de carga. Em 1957, ano de estreia da fabricação no Brasil, o modelo ainda contava com motor e câmbio importados da Alemanha. A potência, por sua vez, já atingia os 36 cv.

Com o passar dos anos, a Kombi brasileira adquiriu outras consideráveis melhorias: mudança no desenho das portas, aperfeiçoamentos na cabine e, claro, motores mais fortes. 

Kombi verde e branca

Fora de linha; eternizada no coração brasileiro

A Kombi saiu de linha em 2013, devido às novas regras de segurança veicular que entraram em vigor no ano seguinte. As normas exigiam airbags e freios ABS em todos os automóveis produzidos no Brasil. Sua fabricação continuou em outros mercados. A Volkswagen segue produzindo modelos comerciais da “velha senhora”, mas com características distintas em relação àquele estilo que conquistou milhões de corações. 

E para acompanhar as mudanças no mundo automotivo, a montadora alemã já está realizando testes com os primeiros protótipos da Kombi elétrica. O objetivo da empresa é lançar uma versão autônoma deste novo modelo até 2025.

Compartilhe

Comentários